Open Call

Festival Impacto

deadline | 27 de setembro 2024

Ciclo curta metragem e curtinhas

PRÉMIO PARA A MELHOR CURTA METRAGEM E CURTINHA | EXIBIÇÃO EM CICLO DE CURTAS DURANTE O FESTIVAL IMPACTO | EXIBIÇÃO ITENERANTE EM 2025

CONVIDAMO-LO A PARTICIPAR NA primeira EDIÇÃO DO Ciclo de curtas metragens festival impacto. ESTAMOS À PROCURA DAs MELHORes curtas metragem (doc e ficção) e Curtinhas que representeM Empatia.

Desde os primórdios do cinema mudo até às produções contemporâneas, o cinema tem sido um catalisador de mudança. Ao longo da sua história, o cinema desafiou estereótipos, confrontou questões sociais prementes e abriu caminho para diálogos cruciais. Ao alargar o seu espetro de representação e ao proporcionar uma plataforma para vozes marginalizadas, o cinema emerge como uma força poderosa na condução da transformação social e na criação de uma cultura definida pela tolerância e pelo respeito.

Ao participar neste festival, estará a juntar-se a uma comunidade de criativos que pensam da mesma forma e que estão empenhados em causar um impacto positivo através do seu trabalho.

É com grande entusiasmo que apresentamos este open call com duas categorias, Curta Metragem e curtinhas, com objetivo principal de promover e incentivar uma cultura de respeito e tolerância, em que são valorizadas as diferenças e as múltiplas formas de viver e ver o mundo, através da seleção de obras que explorem o profundo poder da empatia através de narrativas que transcendem fronteiras, culturas e perspectivas.

Numa sociedade cada vez mais global, mas polarizada, é difícil ter um código de empatia que nos permita entender o mundo sob uma visão mais abrangente, menos individual para conseguir entendermos e encontrarmos pontos de convergência com o(s) outro(s).

A sua participação têm o potencial de mudar vidas e inspirar mudanças, uma reflexão, uma história. juntos, podemos criar um espaço para um diálogo significativo e incentivar uma cultura de empatia e consciência social

TRÊS CATEGORIAS

CURTINHAS

O storytelling digital está à nossa volta; vídeos e podcasts utilizam palavras combinadas com imagens para partilhar histórias significativas. A utilização das plataformas digitais possibilita a partilha de estórias de uma forma poderosa e abrangente com a comunidade online. Produções visuais (ficção e documentario) com duração igual ou inferior a 3 minutos.

CURTA METRAGEM – DOCUMENTÁRIO
CURTA METRAGEM – FICÇÃO

Sob o tema empatia, este open call procura desafiar os participantes a partilharem estórias que possam ser catalisadoras de conversas e um apelo à mudança social. Produções visuais (ficção e documentario) com duração igual ou inferior a 30 minutos.

PROCESSO DE SELEÇÃO

Todas as peças apresentadas são analisadas pelo nosso júri sem os dados do autor, o que significa que os nossos jurados não conhecem o nome do participante e a sua origem até ao final do processo de seleção. Desta forma, garantimos que o processo de seleção decorre da forma mais transparente e responsável possível.

Todas as imagens recebidas são avaliadas através de quatro elementos decisivos. Factores técnicos, factores de composição, factores emocionais e factores narrativos. Terminado o período de pré-selecção, as imagens finalistas serão novamente analisadas, para a seleção final. A decisão do júri será comunicada durante a primeira semana de Outubro 2024. Será enviado um e-mail a todos os participantes selecionados, informando-os do resultado da sua apresentação.

CONDIÇÕES E LICENÇAS

Todos os participantes no Festival Impacto, em virtude da sua apresentação, acreditam que as imagens e os projectos apresentados são da sua autoria e que não houve qualquer violação dos direitos de autor. A COFI não se responsabiliza por qualquer violação de direitos que possa surgir durante o processo de seleção e posterior exibição de qualquer imagem. O participante é responsável por obter, antes da apresentação da fotografia, todas e quaisquer autorizações e consentimentos necessários para permitir a exposição e utilização da fotografia. Os projectos serão avaliados por um júri profissional e relevante no domínio da fotografia, sem qualquer tipo de influência e sem dados do autor. A decisão do júri não será suscetível de recurso e terá carácter definitivo.

DIREITOS DE AUTOR E UTILIZAÇÃO

Os direitos de autor das imagens pertencem exclusivamente e em qualquer altura ao fotógrafo e ao autor da imagem. As imagens serão utilizadas estritamente em relação à exposição Festival Impacto e não serão utilizadas para outros fins que não a promoção direta dos seus autores. É concedido à COFI e seus parceiros e patrocinadores o direito de publicar e exibir as imagens e fotografias selecionadas e posterior promoção nas suas redes sociais, salvaguardando sempre a autoria e os direitos de autor.

PAINEL DE JURADOS CURTA-METRAGEM

Rui Simões (Lisboa, 1944), estudou Realização de Cinema e Televisão no Institut des Arts de Diffusion em Bruxelas. Regressa a Portugal em 74 iniciando a sua actividade cinematográfica, realizando dois documentários sobre o período pós-revolucionário: “Deus, Pátria, Autoridade” e “Bom Povo Português”. Em 86 cria a produtora Real Ficção, desenvolvendo o seu trabalho como documentarista profundamente ligado a temas sociais, artes e aos países de língua portuguesa. PRIMEIRA OBRA é a sua primeira longa-metragem de ficção.

Pedro Sena Nunes, Realizador, programador cultural e professor na área da criação artística, cinema documental e cinema experimental. Realizou diversos filmes com apoio do ICA/RTP – documentários, ficções e spots publicitários. Desenvolveu projectos fotográficos de autor. Co-director artístico da Vo’Arte, co-fundador da Companhia Teatro Meridional, é consultor e coordenador de diversos projectos culturais nacionais e internacionais. Integrou as equipas dos projectos europeus Fragile, Unlimited e European Video Dance Heritage (EVDH). Co-dirige os Festivais Internacionais InShadow, InArt e InMotion nas áreas do cinema, fotografia, dança e performance, e é programador dos Olhares Frontais – Encontros de Cinema de Viana, há 23 anos, onde coordena também o projecto Histórias da Praça. Colaborou no desenho do Festival Filmes do Homem, atual MDoc, onde é responsável pela Residência de Cinema e Fotografia – Plano Frontal. O seu projecto artístico centra-se cada vez mais numa prática com dimensão social através do cruzamento de todos com todos, intérpretes com multi-defiência e artistas profissionais. Há 27 anos que se dedica intensamente à área pedagógica, dirigindo laboratórios dedicados à experimentação e inovação, tanto documental, como ficcional. Leciona nas áreas de realização cinematográfica, narrativas transdisciplinares e relação da performance com as tecnologias na ESTAL, IPA, SOU, C.E.M. e EscreverEscrever. No Mestrado de Cinema Documental da ESMAD (Porto) leciona há mais de 10 anos e mantém uma relação pedagógica. É coordenador na ETIC – Escola de Tecnologias, Inovação e Criação há 22 anos, escola onde foi diretor criativo, e colaborou na implementação dos novos cursos HN certificados pela Pearson e coordena o curso com a chancela da Solent University. Orquestrador e encenador de diversos projectos teatrais, coreográficos e performativos foi inúmeras vezes premiado

Tiago R Santos, nascido em Lisboa em 1976, tem trabalhado regularmente tanto em cinema como televisão, tendo escrito mais de dez longas metragens, sendo nomeado seis vezes pela Academia Portuguesa de Cinema, ganhando uma vez por Melhor Argumento Original. Assinou grandes sucessos comerciais do cinema Português recente, como “Call Girl” ou “O Leão da Estrela”. Tiago co-criou três séries com transmissão em prime time na RTP, uma das quais – “Até Que a Vida Nos Separe” – com distribuição mundial na Netflix. Ganhou por duas vezes o prémio Autores, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores, pelo seu trabalho no filme “Os Gatos Não Têm Vertigens” e na série “Até Que a Vida Nos Separe”. Mais recentemente, Tiago escreveu e realizou a sua primeira metragem, “Revolta”. O filme teve duas nomeações para os prémios da Academia Portuguesa de Cinema. O seu próximo filme como realizador, “A Última Noite”, está agora em pré produção. Tiago escreveu duas séries com estreia em 2023 na RTP: “Histórias da Montanha”, uma adaptação dos contos clássicos de Miguel Torga; e “Braga”.

PAINEL DE JURADOS CURTINHAS

João Sacadura

Marko Rosalline

Maria João Vieira Pinto

INSCRIÇÃO

    Avisos Legais | Política de cookies | Política de privacidade | © 2024 Festival Impacto